Cunha Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy

Cunha Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy Copy

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

E chegou novamente a época do Pinhão. Um pezinho de araucária demora em média 10 anos para crescer e produz depois de 15, 20 anos. É importante plantar, estão ameaçadas de extinção, eu já plantei algumas mudinhas em casa, mesmo nossa terra sendo repleta delas. Nessa época chove pinhão,  a pinha cai e espalha os pinhões pelo chão. A temporada é curta, mas muito farta.  Aprendi aqui na roça que o pinhão só pode ser comercializado depois do dia 15 de abril, respeitando a sazonalidade e a segurança. Alguns moradores locais ainda sobem  nas arvores para derrubar a pinha colocando suas vidas em risco e o equilíbrio natural em perigo.  Essa árvore tão linda e generosa reproduz uma vez por ano o adorado pinhão, esperar seu ciclo natural é respeitar a natureza e a vida.  Uma das delícias que o campo me trouxe foi com as próprias ramas  secas das araucárias acender um fogo lindo e forte  e sapecar o pinhão na brasa, é um ritual, todos ficam no entorno do fogo abrindo o pinhão que fica torradinho e amanteigado. Outra mania  adquirida foi cozinhar uma panela de pressão a cada dia para o chá da tarde, ooo delícia. Também estou tendo a oportunidade de criar muitas receitas, para quem é a adepto ao veganismo como eu o pinhão é um curinga que da substancia e textura para muitos pratos.

Para comer muito e nunca enjoar, aqui algumas das receitas, aproveitem!

RISOTO DE ABÓBORA, PINHÃO E ORA-PRO-NÓBIS

MOQUECA DE PINHÃO, BANANA DA TERRA E PALMITO

Tags:
Author:
Dani Hispagnol
danihispagnol@goute.com.br
No Comments

Post A Comment